Parafraseando a Dr.ª Rute Remédios, as opiniões são como as vaginas: cada uma tem a sua e quem quiser dá-la, dá-a. Neste blog, Julie D´aiglemont dá a sua. Opinião, claro. E nem sempre da forma mais respeitosa. Isso ofende a vossa sensibilidade? Então, ide, ide. Ide ler o programa de um qualquer partido de extrema esquerda, que de certeza é mais consentâneo com vossos princípios morais.





sábado, 18 de junho de 2011

Já viram um idiota entre aspas?

Não? Então, vejam aqui.

7 comentários:

Cricri disse...

Oh meu deus...
Não eram terroristas, eram só uns senhores que se fartaram de ver a corrida de estafetas e decidiram fazer uma surpresa à equipa Israelita...

Julie D´aiglemont disse...

Surpresa com fogo de artifício e tudo. Uns ingratos, aqueles israelitas.

Francisco o Pensador disse...

Julie, eu acho que percebi a reacção "entre aspas" do entrevistador que aparece no video, quando se quis referir aos terroristas.
Se conheceres a história do "Massacre de Munique", saberás que o massacre dos reféns foi causado, não pela vontade dos terroristas (caso contrário, já o teriam feito no Hotel), mas sim em consequência duma acção executada pela força policial alemã, que, sem qualquer preparo e numa operação mal planejada, lembrou-se estupidamente de fazer uma emboscada na base militar de "Fürstenfeldbruck", provocando um tiroteio que durou cerca de 3 horas e causou a morte de todos os reféns (que estavam vivos até essa altura), cinco terroristas e 1 policia.

Julie, nestas circunstâncias também sou forçado a concordar que os "verdadeiros" terroristas desta história foram os alemães, porque foram eles que originaram este massacre.

:)

CA disse...

Para quê procurar mais longe, se temos um aqui em baixo. Ah ah ah

Anónimo disse...

Ai que engraçado... nunca tinha pensado nisto desta maneira. Foi a polícia alemã que raptou os atletas. Mas que cabeça a desta gente, culparem os palestinianos entre aspas de um acto tão ignóbil, como o de raptar e assassinar inocentes. Eles nunca fariam tal coisa, como a história tem confirmado.
Os desvios de aviões pelo camarada Arafat, só tinham a intenção de facultar aos passageiros um passeio extra. Pelo mesmo preço Arafat promovia viagens que, muitas vezes, terminavam com uma visita guiada aos céus.
Gosto tanto de palestinianos, que era capaz de comprar meia dúzia deles para fazer um espanta-espíritos, daqueles que se penduram no alpendre. eheheh

Julie D´aiglemont disse...

Francisco: custa-me tanto discordar de ti no que quer que seja, porque normalmente andas com a razão a teu lado. Algum dia teríamos de discordar! Foi desta.

Anónimo: também gosto muito de palestinianos. São muito pacíficos, uns fofos! Aliás, gosto muito de muçulmanos em geral.

Francisco o Pensador disse...

Julie, dito dessa forma tão gentil...até apetece arranjar formas de discordares de mim mais vezes...hehehe :)

Mas para que não penses muito mal de mim, deixa-me explicar-te isto de outra forma.
Nunca foi minha intenção defender a razão dos terroristas palestinianos. Usaram violência fisica e psicológica, e mataram 2 pessoas, logo, são criminosos.
O que quis dizer é que apesar da situação ter sido inicialmente criada por eles, a responsabilidade da morte dos restantes 9 reféns cabe inteiramente aos alemães. Se uns se tornaram assassinos por opção, os outros foram-no por ingenuidade, orgulho e teimosia.
Percebes melhor agora?

Não quero saber de Arafats, de Bin Ladens, de Khadafis, de Beatos Salus ou porra que lhes valha, apenas defendo que os cornos devam ser sempre entregues aos bois respectivos.

Um abraço