Parafraseando a Dr.ª Rute Remédios, as opiniões são como as vaginas: cada uma tem a sua e quem quiser dá-la, dá-a. Neste blog, Julie D´aiglemont dá a sua. Opinião, claro. E nem sempre da forma mais respeitosa. Isso ofende a vossa sensibilidade? Então, ide, ide. Ide ler o programa de um qualquer partido de extrema esquerda, que de certeza é mais consentâneo com vossos princípios morais.





segunda-feira, 7 de maio de 2012

Mãezinha, não te apagues

A minha mãe ensinou-me muitas coisas. 
Ensinou-me, por exemplo, a ver o mundo com cores mais realistas do que aquelas com que eu o pintava na adolescência.
Incutiu-me orgulho em ser independente.
Adestrou-me na arte de rir de mim própria.
Demonstrou-me as virtudes de uma bela vingança quando bem planeada.
Mas, de todas as lições da santinha, a que eu mais prezo é a recusa em tornar-se desapiedada, insensível às calamidades alheias. 
Foi dela que recebi a regra de que fome é sempre fome, quer ataque um ser humano ou um animal. 
Foi dela que herdei a rejeição da indolência perante o sofrimento dos animais. 
É a ela que recorro quando preciso de ajudar mais um animal. 
É por causa dela que trabalho para sustentar os meus bichos obesos.

13 comentários:

Susi disse...

"Demonstrou-me as virtudes de uma bela vingança quando bem planeada" muito bom :p, a tua mãe ensinou-te a ser uma mulher a sério é o que é. E sim, fome e sofrimento não tocam só às pessoas,e conseguem perceber-se tão bem (ou melhor ainda) nos olhos dos animais.

Conto de Fadas disse...

Que bem te educou. :)

S* disse...

A tua mãe foi boa para ti e ensinou-te os valores certos. Não queremos bichos obesos com fome.

Vic disse...

Havias de ver a minha cadela ( infelizmente, não tenho vida para ter mais animais ou estariam todos como ela)

Imperatriz Sissi disse...

"Demonstrou-me as virtudes de uma bela vingança quando bem planeada." Ah grande mãe! Isso e gostar de bichinhos. Cá das minhas.

Anónimo disse...

Valha-me Deus, que parvoíce, trabalhar para sustentar bichos obesos...

É por esta falta de valores que esta sociedade vai de mal a pior.

Eu só compreendo que tu digas estas alarvidades pois a net permite algum anonimato mas enfim, até te fica mal...

Pior mesmo só aquelas parvalhonas que gastam dinheiro em roupinha e outras cenas assim para a merda dos caniches.

Que tristeza. Este tipo de gente até mete nojo...

Julie D´aiglemont disse...

Caro anónimo: lamento que a sua mãe (ou a genética?) não o tenha educado para perceber uma ironia nem quando ela lhe acerta em cheio na cara.
Olhe, eu não me importo nada que ache que alimentar animais me fique mal. Já dizia Zola, o meu amor pelos animais é superior ao medo do ridículo.
Vá, não se leve tão a sério...

Pusinko disse...

Julie, Dois aspectos que destaco são: o uso da vingança bem planeada e o amor aos bichos :D
Não percas as tábuas da lei. Todas as que a tua mãe te deu, não só estas duas... que são fantásticas, diga-se.

Bloga-mos disse...

A tua mãe não estará porventura disponivel para me ensinar outras coisas de indole por agora inconfessáveis?

AvoGI disse...

Ai mulher e doca amiga d eazul, adoro-te. e adoro os teus comentarios em resposta aos zé-ninguem
kis :=)

Petra disse...

Mulher conhecendo-te pessoalmente como te conheço, dá para perceber que tens uma grande mãe!
Já agora chuchu, não tens moderação de comentários???
Em Junho quando for trabalhar ao norte bebemos um café que já tenho saudades das nossas noitadas com a Laura e a Monica...

Safira disse...

Nutro sempre grande respeito e admiração por pessoas que elevam uma vingança bem urdida ao estado de arte (que é, o Conde de Monte Cristo que o diga!) e que ainda por cima são claramente animal lovers.

:)

Catarina Reis disse...

Bela mãe e que bela educação ela te deu. Beijos