Parafraseando a Dr.ª Rute Remédios, as opiniões são como as vaginas: cada uma tem a sua e quem quiser dá-la, dá-a. Neste blog, Julie D´aiglemont dá a sua. Opinião, claro. E nem sempre da forma mais respeitosa. Isso ofende a vossa sensibilidade? Então, ide, ide. Ide ler o programa de um qualquer partido de extrema esquerda, que de certeza é mais consentâneo com vossos princípios morais.





quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011

Anais da Justiça (#7)

Há uns anos, a minha amiga AS foi contactada por uma senhora que se dizia herdeira de alguns terrenos em Espanha e queria registá-los em seu nome. Já tinha contactado um advogado espanhol para esse efeito, mas sem resultados.
De forma a elucidar a minha amiga acerca do que se tinha passado, a cliente facultou-lhe cópia das cartas que tinha enviado a esse advogado.
Depois de as ler, AS percebeu porque é que o pobre advogado não lhe conseguiu resolver o problema: as cartas estavam escritas no "portunhol" mais fabuloso de todos os tempos. Nem Sócrates consegue este domínio da língua castelhana!

(clicar na imagem para aumentar)

6 comentários:

*L.E.S* disse...

ahah tá criativa :D

dinona disse...

Pronto já me tive a rir, mas ao mesmo tempo tenho pena da senhora que ao fim e ao cabo foi uma incompreendida.

O que não percebi foi o facto de ela em vez de usar os espaços por hífens, até parecia que tava a ler um telegrama :-P

Teresa disse...

Os espanhóis também nunca percebem nada!!

R. disse...

Olá, tens um selo no meu blog!

beijinhos

Catarina Reis disse...

Muito bom Portuganhol. beijos

Anónimo disse...

Por isso é que não gosto de espanhóis, pá! Burros como só eles. Então não se percebe? Eu juro que tenho mais dificuldade em perceber o que está escrito na nossa língua do que na mal amanhada galega. Mas eu sou uma burra confessa e assumida, posso prová-lo no post dos escorpiões do Sítio do Picapau Amarelo.

L.