Parafraseando a Dr.ª Rute Remédios, as opiniões são como as vaginas: cada uma tem a sua e quem quiser dá-la, dá-a. Neste blog, Julie D´aiglemont dá a sua. Opinião, claro. E nem sempre da forma mais respeitosa. Isso ofende a vossa sensibilidade? Então, ide, ide. Ide ler o programa de um qualquer partido de extrema esquerda, que de certeza é mais consentâneo com vossos princípios morais.





quarta-feira, 27 de julho de 2011

Isto é um bocadito desrespeitoso, ou não?

Actores brasileiros infiltrados no funeral de Amy Winehouse fingiram ser amigos da cantora e até deram entrevista à RTL (notícia aqui).

Quando uma boçal e insensível como eu acha que se levou o humor longe demais, é capaz de não ser muito bom sinal.

20 comentários:

Paula M. disse...

Um bocadinho desrespeitoso é favor... independentemente da opiniao de cada um, acho de um extremo mau gosto estes circos à volta da morte de alguém.

Parabens pelo blog, só o descobri ontem mas estou a seguir.

Orquídea Selvagem disse...

Eu acho sim.
Mas sabes como é... há sempre quem tente [e consiga] tirar proveito da desgraça alheia. É isso e as piadas de humor [bastante negro] que já começaram a circular por aí a gozar com a pobre alma!

Enfim, mas como não somos todos iguais eu costumo dizer: quem não gosta deixa na beira do prato!...

Malena disse...

Também não acho gracinha nenhuma!! Nem a isso nem às garrafas de Vodka, aos copos de vinho e maços de tabaco que deixaram frente à casa dela à mistura com a flores.

Julie D´aiglemont disse...

Paula M.: também me confundem estes espectáculos à volta da morte.
Obrigada pelo elogio.

Orquídea: lido bem com as piadas. Aliás, eu cultivo um humor bastante negro, eheheheh! O que me faz confusão é dois fulanos, só por piada, imiscuirem-se num acto profundamente privado.

MarcoLino disse...

Até eu, que não me sinto minimamente afectado pela grande perda para a humanidade, que representou a morte da "seca-adegas", não acho piada a essa merd@.
Uma coisa é a figura pública que, como tal, tem de se aguentar à bronca com as piadas acerca daquilo que representa. Outra bem diferente é alguém imiscuir-se no luto e entrar pela porta do cavalo numa cerimónia que a família fez questão de manter privada.
Umas boas arrochadas no lombo talvez não fossem mal dadas :)

Julie D´aiglemont disse...

MarcoLino: é exactamente isso. Eu também não me senti afectada nem chocada. De resto, sejamos claros, era previsível. Mas isto já é demais.
Sou a favor das arrochadas.

Luna disse...

Pensei o mesmo. Uma total falta de respeito, principalmente pelos pais, que independentemente do que o mundo pensa, acabaram de perder uma filha e quiseram manter a cerimónia restrita.

Queen of Hearts disse...

É. Mesmo gente estúpida.

Queen of Hearts disse...

É. Mesmo gente estúpida.

Teresa disse...

O MarcoLino disse tudo.

Como, de outra maneira, um amigo meu disse aqui:

http://eusouogatomaltes.blogspot.com/2011/07/sobre-amy-winehouse.html

Não vamos endeusá-la, não vamos agora dizer que foi a melhor coisa que a Música já conheceu desde Mozart e os Beatles. Há que manter perspectiva.

Mas entrar assim fraudulentamente num enterro privado é mesmo muito mau. E o pior é que agora, à conta disto, devem já ser famosos fora da terra deles, quando antes ninguém os conhecia.

Tio do Algarve disse...

Julie,
Não és nada disso que dizes, mas tens todoa a razão. É uma vergonha e inadmissível. Também acho que as garrafas o tabaco e etc misturado com as flores um gesto de mau gosto!

Manuela disse...

Querida Julie, o Marcolino, disse exactamente o que eu penso.
Há limites.

Defecando e Andando disse...

Há gente que não tem a noção de bom senso.

Estudante disse...

Txiii... este pessoal tem cá uma lata!...

AlterEgo disse...

Eu também acho, tal como a Manuela, que há limites.

O problema desta cena dos limites é que os meus podem ser diferentes dos teus e geralmente a malta tem a tendência a julgar que os seus limites é que são os verdadeiros limites e o resto é treta.

Ou seja, geralmente nós achamos que podemos ir além dos limites do vizinho desde que não ultrapassemos os nossos... Ele não gostou? Paciência, eu não ultrapassei os meus limites por isso 'tá tudo bem... Mas se alguém ultrapassa os nossos limites então já é um verdadeiro escândalo.

Ou seja... Depois do "post" das previsões da Madame Julie acho que falta um pouco de coerência para se falar em ir longe demais...

Pusinko disse...

tEns razão Julie.
Não é tanto o terem andad a aparvalhar, mas sim o facto de se infiltrarem num acto privado sem terem nenhuma ligação à moça.

Ska disse...

Acho parvo. É daquelas coisas que deve ser para programas com velhas tipo as do preço certo, que se riem histericamente de cada vez que alguém diz um palavrão

Violeta Extravagante disse...

Cada vez mais a falta de respeito impera.
Sou do tempo do "faz favor" do "obrigada" do "com licença" e cultivo-os com frequência.
Claro que tudo tem um limite como diz a Manuela. O limite do bom senso e da boa educação. Não tem que ver com liberdades tem que ver com mentalidades e sensibilidades.
Penetras num funeral, a fingirem serem amigos da cantora? E ainda por cima a darem entrevistas? A gozar com a familia da Amy?
Só com uns valentes porradões nos cornos...

Petra disse...

Porra que filha da putice.... infiltrarem-se numa cerimónia privada ainda por cima para a parvoeira é parvo e sim desrespeita acima de tudo a dor dos amigos e familiares..... Concordo com o Marco Lino... era umas arrochadas com vara de marmeleiro pelo lombo a baixo, e eu acrescentaria umas sopas de pão e leite azedo cheias de laxante.

S* disse...

Perfeitos idiotas.