Parafraseando a Dr.ª Rute Remédios, as opiniões são como as vaginas: cada uma tem a sua e quem quiser dá-la, dá-a. Neste blog, Julie D´aiglemont dá a sua. Opinião, claro. E nem sempre da forma mais respeitosa. Isso ofende a vossa sensibilidade? Então, ide, ide. Ide ler o programa de um qualquer partido de extrema esquerda, que de certeza é mais consentâneo com vossos princípios morais.





sexta-feira, 2 de julho de 2010

Não jogar com o baralho todo é...

... Ser a mãe do noivo e sugerir à noiva que coloque baratas de plástico nas mesas para assustar os convidados;
... Aparecer com sapatos Twins da Camper (um de cada cor) e chapéu turco (daqueles com borla vermelha), e mudar de roupa durante a festa (para uma túnica marroquina);
... Resolver surpreender os noivos (e a palavra chave é mesmo "surpresa") com a exibição de um grupo de "Zés Pereira" (tambores) durante o almoço.

3 comentários:

Teresa disse...

Coitada da noiva...que sogra!! =S

Miss Murder disse...

Pobre noiva...

rosebudd disse...

Eu vi. Eu conheço.
E posso dizer que não existe nada pior do que os "pseudo artistas", como é o caso.
Acho é que te esqueceste da vez em que, pleno Agosto, na praia de Leça da Palmeira, a senhora em vez de toalha de praia, resolveu levar um cobertor daqueles debruados a seda (portanto com cerca de 40 anos!). E ainda foi com o mesmo até à esplanada tomar café, que vergonha.... Uma autêntica pérola....