Parafraseando a Dr.ª Rute Remédios, as opiniões são como as vaginas: cada uma tem a sua e quem quiser dá-la, dá-a. Neste blog, Julie D´aiglemont dá a sua. Opinião, claro. E nem sempre da forma mais respeitosa. Isso ofende a vossa sensibilidade? Então, ide, ide. Ide ler o programa de um qualquer partido de extrema esquerda, que de certeza é mais consentâneo com vossos princípios morais.





quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

Antes & Depois (#4)


Não há uma alma boa que diga à Mariah Carey que, com as dimensões dela, usar aquelas roupas não suscita a luxúria masculina mas a hilaridade geral?
O excesso de auto-confiança irrita-me solenemente.

11 comentários:

Miss Murder disse...

Ela nunca foi magra e sempre usou aquelas coisas, o que fazer?

Martini Bianco disse...

Nema credito que é ela..

Já foi gostosa.. mas agora, porra...

noiseformind disse...

Eu ja fui obeso, muito mesmo. E acho engracado como as pessoas julgam de fora uma escolha que e claramente pessoal e animica, a roupa com que um musico faz um concerto. No fundo julgar de fora e um ataque futil a uma forca que vem de dentro.

A minha pergunta e o porque da necessidade de julgar, essa sim e a fraqueza, nao uma escolha que me parece natural, as roupas podem ser feitas em todos os tamanhos. Porque e que certas roupas so deviam vir do XS ao M? E um padrao geral, nao o que ela sente.

E ela sente-se muito bem, tem a tour esgotada e ganhou uma porrada de Emmys o ano passado, e ainda bem que e assim.

A minha pergunta acaba por ser: desprezas a senhora mesmo ou tens apenas inveja do sucesso que ela tem apesar de desprezar o tamanho M?

Belinha disse...

Noiseformind:
Conheço muito bem a Julie e posso confirmar-te: a Julie tem mesmo inveja da MC. Já não suporta o seu corpo 36, as pernas elegantes e altas, que ainda por cima, vê lá tu a audácia, empina em saltos muito altos. Barriga? Nenhuma.
É uma inquietação para ela, eu sei, que a MC viva uma vida de sucesso, com parâmetros muito altos, ainda que esses parâmetros se prendam com o nível de açúcar no sangue e o colesterol a tocar os píncaros do absurdo. E também sei, porque vi no quarto dela, esta mesma fotografia, numa espécie de santuário erguido à diva.

Tudo inveja, Julie, shame on you! Nem para o Roxanne tens voz!

noiseformind disse...

"Belinha",

:)

Julie D´aiglemont disse...

Noiseformind: apesar de eu não ser uma gaja muito dada a invejas, confesso que invejo a Cláudia Goya, directora geral da Microsoft em Portugal, porque é lindíssima, inteligente e bem sucedida. Quanto à Mariah, a única coisa que poderia invejar, seria o dinheiro dela. Mas por essa ordem de ideias, teria de invejar uma percentagem considerável da população mundial, que vive muito melhor do que eu.
Já agora, o que eu acho risível na Mariah não é ela ser gorda, é ela achar que é magra.
Mas fica sabendo que aprecio muito os teus comentários. Beijos para ti.

Julie D´aiglemont disse...

Belinha: um dia ainda te vou cantar o Roxanne em dueto com o Luís para te provar o que é ter voz de rouxinol...

noiseformind disse...

Portanto, se invejas a Goya presumo que afinal fui eu que percebi mal: n tens problema nenhum com as imperfeicoes, desde que atapetadas por plasticas rectificativas... como a tua idala :))))

Julie D´aiglemont disse...

É isso, Noiseformind, acertaste: o que interessa é mesmo a parte física, a carreira académica e profissional da mulher é completamente alheia à admiração que possa suscitar nos outros.
Nossa Senhora da vuvuzela te valha, rapaz!

P.S. Só por tu gostares tanto da Mariah, vou fazer um post dedicado a ti.

noiseformind disse...

(isto ta cada vez pior, valha-me Deus).

Oh my dear... quer dizer... eu n sou flor que se cheire, literalmente por causa do cheiro a dejectos aqui no projecto que vim visitar (hoje rebentaram algumas condutas)... mas a Claudia Goya e o que? Da parte do que? No que?

Era a responsavel de Haircare da P&G, que como sabes e das coisas mais complexas que existem no mundo, logo a seguir a aceleradores de particulas.

Dai foi para a instalacao da Oniway, que era a operadora da EDP que FALIU 16 meses apos ter entrado no mercado.

Dai passou para gestora do laboratorio da GALP Energia, empresa monopolistica de cujo laboratorio pelo que me dizem so saem aumentos de precos. Atencao que ela nao foi responsavel pela garrafinha de gas sexy, isso foi uma JV com a Universidade de Aveiro, com quem ela nao teve nada a ver.

Para essa empresa monopolistica passou indiferenciadamente pelas gestao dos postos em Espanha, mas estranhamente quando foi para tratar do negocio da ESSO foi preciso chamar um dos seus subordinados para tratar das negociacoes. Ela era demasiado boa para tratar da maior aquisicoes de postos na historia da GALP, n era?

E depois passou para o revamp das lojas... eu n quero ser chato mas isso parece-te uma promocao? Pois... nem a mim.

Quanto aos contributos da menina Goya para a Microsoft, limito-te a publicar isto

"Sales fell 17 percent to $13.1 billion, missing analysts' average estimate of $14.48 billion. Annual sales of the company's Windows operating system -- its first and most important business -- fell for the first time on record."

Isto e a analise das vendas da Microsoft de 2009, by the way.

E isto com subidas nas vendas de consolas.

Portanto... eu n vejo nada de admirar na menina Goya, mesmo nada. E como so avalio a beleza das mulheres pela sua capacidade em darem-me orgasmos, como ainda n tive nada a ver com ela sou neutro nesse aspecto.

Portanto, uma posicao bem menos radical que tens em relacao a Mariah.

O

noiseformind disse...

mmm... o comment parecia mais piqueno quando o comecei a ditar para o meu assistente ha uns minutos atras. Mas pronto... tenho dito!

(:-P