Parafraseando a Dr.ª Rute Remédios, as opiniões são como as vaginas: cada uma tem a sua e quem quiser dá-la, dá-a. Neste blog, Julie D´aiglemont dá a sua. Opinião, claro. E nem sempre da forma mais respeitosa. Isso ofende a vossa sensibilidade? Então, ide, ide. Ide ler o programa de um qualquer partido de extrema esquerda, que de certeza é mais consentâneo com vossos princípios morais.





segunda-feira, 27 de dezembro de 2010

Os adoráveis seres humanos

A minha família adoptou mais um cão abandonado. Um pormenor: o cão é velho, cego e denota sinais evidentes de ter estado preso a vida toda.
O que nos leva a concluir que, assim que acabaram os seus préstimos como hipotético vigilante da casa de alguma besta, esta decidiu abandoná-lo no meio da povoação em que vivem os meus pais.
Infelizmente, esta é uma história que está constantemente a repetir-se.
E por isso, cada vez mais tenho certeza de que a teoria do bom selvagem é uma piada escondida sob o manto de teoria filosófica.
Ninguém me convence que se não fosse proibido a maioria das pessoas não teria escravos, não mataria, não espoliaria o próximo dos seus bens...
Ah! Os adoráveis seres humanos e o seu espírito natalício!


P.S. Dado que estou dominada por este sentimento tão profundo de preservação da espécie, aviso já que em breve irei iniciar uma categoria em que partilho feitos de seres humanos notáveis.

4 comentários:

Miss Murder disse...

Eu adoro animais. Não minto ao dizer que gosto mais deles do que de pessoas...

Ass: Miss Murder a... não consigo dar a mim própria um cognome --'

L.O.L. disse...

Como diz o velho ditado: Quanto mais conheço as pessoas, mais gosto dos animais.

Van Dog disse...

São uma praga, seres "humanos" que tratam os outros animais assim...

Que haja muitos que tenham a oportunidade de encontrar quem lhes dê um final com carinho e conforto.

Escárnio disse...

Tenho um casal de Cocker Spaniels... só não tenho mais pq realmente n posso. M teria, se pudesse.