Parafraseando a Dr.ª Rute Remédios, as opiniões são como as vaginas: cada uma tem a sua e quem quiser dá-la, dá-a. Neste blog, Julie D´aiglemont dá a sua. Opinião, claro. E nem sempre da forma mais respeitosa. Isso ofende a vossa sensibilidade? Então, ide, ide. Ide ler o programa de um qualquer partido de extrema esquerda, que de certeza é mais consentâneo com vossos princípios morais.





sexta-feira, 7 de janeiro de 2011

Os adoráveis seres humanos (#2)

O Papa Inocêncio VIII preocupava-se muito com a existência de bruxas e demónios, de forma que nomeou Henry Kramer e James Sprenger inquisidores dessas depravações heréticas.

Estes produziram o Malleus Maleficarum, o “Carrasco das Bruxas”, apropriadamente descrito como um dos documentos mais terríveis da história da humanidade.

O Malleus resume-se em grande medida à regra de que, se alguma mulher for acusada de bruxaria, é uma bruxa. A tortura é um meio infalível de demonstrar a validade da acusação e a ré não tem quaisquer direitos. Este manual técnico para torturadores também inclui métodos de sevícias concebidos para libertar os demónios do corpo da vítima antes de esta ser morta.

Com o Malleus na mão e a certeza do apoio do Papa, os inquisidores começaram a multiplicar-se por toda a Europa.

Quanto mais eram aqueles que, sob tortura, confessavam a prática de bruxaria, mais difícil era afirmar que todo o processo era uma mera fantasia. Legiões de mulheres foram queimadas na fogueira.

O papa Inocêncio morreu em 1492, após tentativas infrutíferas de o manter vivo com transfusões (que provocaram a morte a três rapazes) e amamentando-o ao peito de uma ama. Foi chorado pela amante e pelos filhos.


in Um Mundo Infestado de Demónios, Carl Sagan

1 comentário:

Escárnio disse...

Gostei da forma brilhante como termina o último parágrafo. Mais palavras para quê?