Parafraseando a Dr.ª Rute Remédios, as opiniões são como as vaginas: cada uma tem a sua e quem quiser dá-la, dá-a. Neste blog, Julie D´aiglemont dá a sua. Opinião, claro. E nem sempre da forma mais respeitosa. Isso ofende a vossa sensibilidade? Então, ide, ide. Ide ler o programa de um qualquer partido de extrema esquerda, que de certeza é mais consentâneo com vossos princípios morais.





sexta-feira, 20 de maio de 2011

Cabrão da semana: Lars von Trier

Lars, filho, eu já gostava muiiiiito dos teus filmes. Mas agora é que fiquei fã da tua personalidade.

«Durante muito tempo pensei que era judeu e estava feliz por ser judeu. Depois conheci Susanne Bier [realizadora dinamarquesa e judia, que ganhou este ano o Óscar para o Melhor Filme Estrangeiro com «Num Mundo Melhor»] e não fiquei assim tão contente. Mas depois descobri que, na verdade, era nazi. A minha família era alemã. E isso também me deu algum prazer. O que é que posso dizer¿ Compreendo Hitler... Simpatizo um pouco com ele», afirmou. Claro! Porque não? O Adolfo era um ser humano adorável!

«Não quero dizer que sou a favor da IIª Guerra Mundial e não sou contra os judeus, nem sequer contra a Susanne Bier. Na verdade, sou muito a favor deles. Todos os judeus», disse von Trier, se bem que com um à parte: «Bem, Israel é uma pedra no sapato, mas...» Esmiuçando: ele é contra a existência de Israel, mas não tem nada contra os judeus. Faz todo o sentido! Só faltou dizer que gosta deles desde que estejam confinados a ghettos.

27 comentários:

FireHead disse...

Não consigo compreender o complexo anti-judaico dos não-muçulmanos. Faz-me realmente espécie. Odeiem ants os muçulmanos, pois estes constituem uma real ameaça à humanidade...

Julie D´aiglemont disse...

Ora nem mais!

Isis disse...

A este cabrão posso juntar o Dominique Strauss-Kahn? FDP

Pusinko disse...

Cá pra mim o Lars era gozado na escola e agora cospe frustrações conforme pode para chamar a atenção.
E, todos sabemos que IIGM, Judeus e Israel são um bolinho quente todos os dias do ano e fazem notícias. Bem fisgada essa Lars!

É sempre uma pequena bomba alguém deixar claro num Festival de Cinema que gostava de ter brincado com bonecas juntamente com o Adolfinho, que era um incompreendido, coitadinho. Os outros meninos é que são todos maus.

Pusinko disse...

Ó Julie, este título dava uma rúbrica no blog que nunca ia esgotar em posts.
Pensamentos como "Ah e tal... quem será o cabrão desta semana? Que dificil achar algum..." nunca ia acontecer!

Beijooo

Matilde disse...

Lars, és um triste e patético homenzinho, sabias?
Nem mereces o meu latim...

Cricri disse...

Então??? Toda a gente sabe que o Adolfo era um fofinho...
Ontem disseram-me isto em relação a este caso: Ele lá no fundo devia ser boa pessoa, senão a Eva não gostava dele... Enfim...

Martini Bianco disse...

É mais um filho da puta quer sofre do sindrome chamado "marxismo cultural".

Diz mal dos judeus pois se tivesse dito mal dos muçulmanos já tinha a cabeça a prémio a esta hora. É mais um realizador riscado da minha lista, logo quando adorei o filme "Ondas de paixão".

Ele que vá rezar com os seus irmãozinhos arabaes para Meca..

JUST A GIRL disse...

Tá mais do que visto que só quer que falem dele, mal... mas que falem.
Tenho pena dele...

chiclas disse...

Eu também gosto muito do Hitler... sim do Hitler e do Bin Laden, que são dois seres humanos por excelência...

Pro favor Ó Lars, vai rapidamente ao sr.doutor ou então pede ao Senhor que te leve... olha prá beirinha do Adolfo!

Miss Murder disse...

Eu acho que ele não estava bom para te ser honesta, ou drogado ou assim!

Dylan disse...

Mais um pseudo-intectual da treta cinéfila! Depois do estilista, aparece-me este, que vómito!...

Malena disse...

Está ligeiramente baralhado...

L.O.L. disse...

Desculpem a minha ignorancia mas...quem foi esse hitler?

AVOGI disse...

às vezes na falta de palavras faz-se figuras patéticas só por dizer algo . era melhor estar calado mas calado nao vende a imagem
kis .=)

I. disse...

Não sejas assim o Lars tem problemas. Basta ver um ou dois filmes dele para perceber isso.

Queen of Hearts disse...

Eu por acaso estou com a I. Nem acho sequer que o tipo estivesse a falar "a sério". Foi o que ele decidiu começar a inventar na hora, numa de parvoeira. Mas lá que consolidou os meus sentimentos pouco amorosos que já tinha para com ele, consolidou!

chiclas disse...

E a cara da Kirsten Dunst enquanto ele falava?

:D

Helena disse...

Credo, então mas ninguém pode falar mal dos judeus? Mas que falta de liberdade de expressão!
Chiça, então não reclamem que os bancos isto e aquilo, que os donos do papel sao todos judeus.
E o resto... Uma t-shirt do Hitler não posso ter que vou presa, mas do che, napoleao, mao tse, etc, já posso que não faz mal.
Não me parece justo.

Julie D´aiglemont disse...

Pusinko: se calhar vou usar a tua ideia e começar a fazer isto semanalmente. É que parecendo que não, insultar até alivia, eh!eh! Aceito sugestões para os cabrões semanais.

Julie D´aiglemont disse...

Helena: não gosto de nenhum dos personagens que mencionaste. Aliás, posso dizer que lhes devoto grande antipatia. Ainda assim, comparados com o homem que se propôs a implementar uma solução final para acabar com toda uma raça são meninos de coro. Em minha opinião, só Estaline rivaliza com Hitler.

AlterEgo disse...

Sinceramente não sei o porquê de tanto barulho com isto.

Este tipo é dinamarquês e aquela malta lá de cima, dos chamados países nórdicos, é toda virada para a extrema direita.

Aliás, preparem-se porque, no estado actual da Europa, vão ouvir cada vez mais coisas destas...

E muitas delas não vão ser apenas bacoradas da boca de um realizador que se calhar só queria mesmo era uns 15 minutos de atenção da imprensa.

Quando os partidos da extrema direita voltarem ao poder por essa Europa fora, muito por culpa da incompetência dos actuais governantes, então é que será mesmo preocupante.

Prestem só atenção ao que vai acontecer em França, nas eleições presidenciais do ano que vem...

Se a Frente Nacional ganhar, como indicam as sondagens, então sim, tenham medo... muito medo.

caramelo disse...

Somos todos iguais dependentemente da cor da pele ou de cabelo!!
Nascemos, morremos, amamos, fodemos temos filhos. Por isso não sei onde veio essa ideia de anti sei lá o que misturado!

Anónimo disse...

Ó "caramelo", somos todos iguais, mas eu não queria viver num prédio com ciganos. Já tive um aqui no meu que era meio aciganado e era o que dava mais problemas de vizinhança... Felizmente foi-se embora, graças a Deus, e voltou a paz e sossego...

De resto gostei bastante da parte do fodemos ;)

Meio Palmo disse...

Maldita cocaína...

Martini Bianco disse...

Alter Ego - Estás a ver a coisa no ponto de vista errado. Ganhar a extrema direita para defender os europeus das leis de sharia que a Unieao Europeia impõe para gáudio dos discipulos de Alá, é mais do que justo. O que o Von Trier deveria ter dito é que judeus e muçulmanos são ambos farinha do mesmo saco, e que é para se discriminar nem que seja a brincar, que se faça a ambos, nunca apenas aos judeus, porque eles ao menos estão no seu canto, já os muçulmanos querem a Europa para eles, contando com o precioso apoio da Uniao Europeia e o povo europeu está a ficar cansado e revoltado com isso.

EJSantos disse...

Aquela malta do norte da Europa e muito esquisita. Andam cheios de ódio aos judeus, mas são de uma complacencia com os muçulmanos, que até assusta.