Parafraseando a Dr.ª Rute Remédios, as opiniões são como as vaginas: cada uma tem a sua e quem quiser dá-la, dá-a. Neste blog, Julie D´aiglemont dá a sua. Opinião, claro. E nem sempre da forma mais respeitosa. Isso ofende a vossa sensibilidade? Então, ide, ide. Ide ler o programa de um qualquer partido de extrema esquerda, que de certeza é mais consentâneo com vossos princípios morais.





domingo, 1 de maio de 2011

Dia da mãe

Já há uns meses contei aqui que a minha mãe é, indirectamente, a grande causadora de eu ter escolhido esta profissão que nunca há-de fazer de mim uma mulher rica.
Ainda assim, é uma mãe linda, maravilhosa, fofa, querida...

4 comentários:

.:GM:. disse...

Só agora reparei no "casar por amor pois não tenho qualquer interesse nele". Já conhecia essa, ehehe, mt bom!!

Relativamente a este post, e à profissão, depois de alguns anos a trabalhar feito "mouro", também cheguei à conclusão que teria de mudar qualquer coisa para "ir mais além". E mudei. Mas a culpa não foi da mãe. ;-)

Maria Papoila disse...

Julie! parabéns atrasados! sumi por uns tempos mas apercebi-me que não consigo viver sem as pessoas sensuais de segunda feira!

**

Julie D´aiglemont disse...

GM: por brincadeira, eu gosto de culpar a minha mãe por coisas que realmente não lhe são imputáveis. A profissão é uma dessas coisas, porque ela não teve qualquer influência, só me posso culpar a mim própria.

Papoilazinha linda: que saudade!!!!
Pois ainda bem que me lembras que amanhã tenho de publicar uma foto escabrosa. O GM fica-te muito agradecido por não me deixares esquecer, eh!eh!

Beijos.

Leana disse...

Fartei-me de rir com a etiqueta que puseste neste post!

Doida hehe :)

Bjinhos**