Parafraseando a Dr.ª Rute Remédios, as opiniões são como as vaginas: cada uma tem a sua e quem quiser dá-la, dá-a. Neste blog, Julie D´aiglemont dá a sua. Opinião, claro. E nem sempre da forma mais respeitosa. Isso ofende a vossa sensibilidade? Então, ide, ide. Ide ler o programa de um qualquer partido de extrema esquerda, que de certeza é mais consentâneo com vossos princípios morais.





sexta-feira, 27 de maio de 2011

Retrato do artista quando jovem gato

Quando o artista acima foi encontrado, era tão pequenino que todos pensámos que era uma gata e chamámos-lhe Joaninha (só passada uma semana lhe foi dado o festivo nome Manjerico). Era tão pequerrucho que cabia numa mão. Tão minúsculo que quando mordia, os dentes ainda não magoavam.
Apesar disso, tinha um instinto de sobrevivência extraordinário: quando a minha mãe o apanhou e o meteu no carro, ele descobriu logo um saco de comida seca para gatos adultos à qual se atirou ferozmente (não sei se aqueles dentinhos conseguiram triturar aquilo ou se ele se limitou a engolir).
Quando confrontado com o Fígaro, que na altura já tinha 7 anos, não se intimidou: assim que o viu a olhar para ele com sobranceria do cimo de umas escadas, empreendeu uma jornada ao seu encontro que implicava subir cada escada uma a uma e com grande esforço, dado o seu tamanho liliputiano. E que fez aquela pulga atrevida quando finalmente chegou ao pé do macho alfa? Bufou-lhe! Ah pois é, que convinha mostrar que a casa já não era só dele!
E não é que o Fígaro - gato que nunca hesitou em demonstrar desagradado com a existência de outros felinos na Terra - tolerou semelhante impertinência?
Com excepção de algumas desavenças pontuais, são grandes amigos!

17 comentários:

I. disse...

Tão giro, tão giro, tão giro.

AVOGI disse...

adoro gatos e, adoro quem gosta de gatos
kis :=)

L.O.L. disse...

Fabuloso mundo animal.
Gostei de ler este relato felinês.
Eu sei que a palavra "felinês" ainda não existe; acontece que acabei de a implementar agora mesmo na Língua Portuguesa. (sempre é mais tolerável que os abusos do acordo ortográfico).
lololololololol.

Julie D´aiglemont disse...

I. e Avogi: muito obrigada.
L.O.L.: Eu acho que a palavra "felinês" deveria existir. Se eu tivesse FB criava um grupo com esse objectivo, eh!eh!
Beijoooo.

Cricri disse...

Ohhhhhhh!!! I'm a sucker for cats!!! E que belos exemplares que tens... Os meus também não são de se deitar fora, e curiosamente a mais nova e pequenita é quem manda lá em casa.

Pusinko disse...

Gato só tenho o J.C. e somos grandes amigos. Comunicamos em felines. Mas quem manda sou eu.
Tu tens gatinhos super fofinhos e corajosos! De resto, é como disse a Avogi :)
Beijokas

FireHead disse...

Dizem os entendidos que se é para ter gatos em casa, que sejam pelo menos dois para fazerem companhia um ao outro.

caramelo disse...

Oh tens mesmo uns gatinhos fofos**
da-me um sim?
mas primeiro deixar virar a cabeça à minha mãe antes de o trazer para casa!
lol

:)

Malena disse...

Deviamaos aprender com os animais! :)
Muito lindo, o gato! :)

Anónimo disse...

Oi foi a 2ª vez que vi a tua página e gostei muito!Bom Trabalho!
Até à próxima

Isis disse...

Fofo o gatuxo :)

Manuela disse...

Querida julie, é um fofo o teu Manjerico :)

Teresa disse...

É assim mesmo! O Manjerico tem tomates!! =)

JUST A GIRL disse...

Tão lindo! Eu confesso, rendi-me ao mundo dos gatos desde que o Mauro veio cá para casa:)

Leana disse...

Desde que nos mostraste o Manjerico que topei que ele era daqueles com personalidade ;)

Leana disse...

Teresa, não, o Manjerico (já) nao tem tomates, a Julie tratou-lhes da saúde ;)

Catarina Reis disse...

Lindo. Beijos